Projeto Ficha Limpa

4 maio

Ophir manifestou plena confiança na aprovação pelo Congresso do projeto Ficha Limpa.

“Chega de safadeza na política”, afirma Ophir em defesa do projeto Ficha Limpa

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante,  manifestou ontem (03)  plena confiança na aprovação pelo Congresso Nacional do projeto de lei popular (PLP nº 518/09), o chamado Ficha Limpa, e disse que essa é uma exigência da sociedade para moralizar a política.  “É um projeto que separa o joio do trigo e mostrará que quem é bom ou sério na política deve continuar; agora, quem não é, deve sair – chega de safadeza na política”, afirmou Ophir em entrevista,  lembrando que o regime de urgência sobre o projeto será votado amanhã ou quarta-feira pela Câmara dos Deputados.

O presidente nacional da OAB destacou que a força da mobilização popular e o clamor da sociedade por ética na política, que resultaram na coleta de mais de 1,5 milhão de assinaturas para o projeto, são fatores que pressionam pela aprovação do Ficha Limpa, o que é hoje um anseio da nação. “Ademais, é um projeto que vai melhorar cada vez mais a relação do político com a sociedade; e os políticos estão compreendendo que essa é uma exigência da sociedade, pois a sociedade deseja e quer o Ficha Limpa. E  a República se faz assim, a República é de todos, é coisa do povo, não é coisa de alguns para benefício próprio”, observou Ophir Cavalcante, sustentando a crença na aprovação do projeto.

De acordo com ele, outro dado que conduz à expectativa de que o Ficha Limpa passará no Congresso Nacional – após votação pela Câmara, irá ainda ao Senado – é o fato de 2010 ser um ano eleitoral. Para Ophir, além do ambiente construído a partir do projeto de iniciativa popular, que sensibilizou significativamente os parlamentares,”é preciso lembrar que estamos num ano eleitoral e, diante disso, com a sua rejeição os políticos correriam o risco de ter toda a sociedade, toda a opinião pública contra eles, e certamente não vão querer isso”.

Uma resposta to “Projeto Ficha Limpa”

  1. Rodrigo Lopes 02/08/2010 às 3:16 PM #

    Mas, só uma dúvida: O fato do candidato responder à processo não significa que ele seja necessariamente culpado. E, o fato de ser necessariamente culpado não implica no fato dele vir a responder a um processo. Neste caso… E dai?

    Qualquer um pode ser processado por qualquer motivo, sem provas apenas por evidências. Evidencias podem ou não ser tornar provas e provas podem ou não condenar. O que impede que um candidato honesto seja processado por evidências falsas – Exemplo: Dossiê Cayman, sem políticos culpado até o momento. E que um candidato realmente culpado nunca venha a ser processado – Exemplo: Todos aqueles que tem “culpa no cartório” e ninguém sabe.

    Não entendo bem do assunto, só estou comentando e perguntado para tentar entender. Me perdoe se meu comentário está totalmente fora do contexto ou equivocado. Me baseio em comentário que li sobre o assunto onde se dizia algo como “segundo a lei todo cidadão é inocente até que se prove o contrário”, isso quer dizer que processado é réu e não culpado? Certo?

    Obrigado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: