As Redes Sociais e o Casamento

31 mar

As Redes Sociais e o Casamento

Todos sabemos que as redes sociais fazem parte de nossas vidas e rotinas, mas o que alguns ainda não sabem é como essas fantásticas ferramentas de relacionamento podem influenciar as relações familiares.

O namoro, a paquera e até mesmo o sexo virtual não são mais novidades na rotina dos casais brasileiros que agora passam a conviver com bigamia virtual, danos morais e materiais por ofensas na rede e caracterização união estável. Todos esses institutos devem ser analisados com bastante cuidado pelo magistrado, já que ele deverá medir a extensão dessas manifestações digitais sua capacidade de determinar o início ou o fim de uma relação familiar.

No dia 20/03/2012 o site Globo.com reproduziu uma matéria que justamente envolve esse tema (constatação de bigamia), vejamos:

Uma mulher descobriu que o marido havia se casado com outra ao reconhecê-lo em uma foto no  Facebook . Através da ferramenta da rede social “Pessoas que você talvez conheça”, Elleonora Fulk chegou ao perfil de Teri Wyatt-O’Neill. A foto do profile mostrava Teri e um homem tomando champanhe próximo a um bolo de casamento. Logo, Elleonora percebeu que o estranho da foto era, na verdade, seu marido, do qual nunca havia se divorciado.

 Alan O’Neill, que anteriormente era conhecido como Alan Fulk, deixou sua esposa em 2009 e trocou de nome pouco tempo depois. Ele se casou novamente, desta vez com a Teri, sem ter entrado com a separação legal de sua primeira mulher. Agora, ele responde por bigamia, em Tacoma, Washington, após Elleonora notificar às autoridades sobre a fraude.

Quando Elleonora tomou conhecimento do acontecido, entrou em contato com a mãe de seu até então cônjuge, e marcou um encontro com o réu. Confrontado, Alan teria pedido que ela não contasse às autoridades sobre a bigamia. Elleonora não cedeu ao apelo, e levou o caso à justiça.

Alan O’Neill foi colocado em licença administrativa após a acusação da promotoria. O réu responde ao processo em liberdade, como em qualquer caso de crime não violento. Se condenado, O’Neill pode pegar até um ano de prisão.

Assim, podemos afirmar que é plenamente possível usar as declarações, informações, dados, fotos e outros documentos postados nas redes sociais para demonstrar o início de uma união estável, o fim de um casamento por descumprimento do dever de fidelidade, a anulação de casamento e até mesmo a obrigação de pagar danos morais e materiais decorrentes da má utilização da estrutura da rede social.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: